Chandrayana Vrata

Não há realização de yogas se curses não forem removidas do mapa. Como já dito por mim em diversas outras postagens, a remoção de curses se dá por diversos meios, quer penitências espirituais, banhos em rios sagrados, peregrinações a locais sagrados etc.

Vejamos que quando uma pessoa remove uma curse de seu mapa, isto é semelhante à remoção do estado de debilidade de um planeta. Por exemplo, quem tem Júpiter debilitado no mapa deveria ir, em peregrinação, à Tara Pitha, pois planetas debilitados representam as Das Maha Vidyas. Quando isso ocorre, a debilidade do planeta é removida e a vida da pessoa dá uma guinada de 180º positivo. Uma completa transformação ocorre, pois os yogas relacionados ao planeta podem então frutificar, trazendo todos os assuntos auspiciosos. Isto é, se forem Raja Yogas, trazem prosperidade na vida, elevado status, mudanças favoráveis etc.

Frequentemente tenho observado que planetas depositados em certas casas, cujos Signos Naturais governantes sobre aquela representam o sinal de debilidade do planeta, ainda que o tal planeta não esteja debilitado, sentem-se atraídos pela Mahavidya correspondente a aquele planeta. A adoração dessa divindade produz toda proteção na vida.

Como não há frutificação de yoga sem remoção de curse, hoje complemento a postagem sobre Guru no dia do Guru Pournima, o qual abordei por alto sobre o Chandrayana Vrata para a remoção de Curse de Júpiter no mapa. Essa curse, por envolver Júpiter, traz problemas em tudo na vida. Se Sol é a alma do Kalapurusha, Júpiter (como bem ensina Bhrigu) é como Jiva encarnado, e qualquer aflição sobre Júpiter no mapa afeta a experiência de Jiva no mundo.  



Chandrayana Vrata (*) é um jejum que tem a duração de um mês, começa no Amavasya (jejum inteiro). Em seguida, no primeiro dia da quinzena clara (Shukla Pratipat), um pouco de comida pode ser ingerida à noite (o jejum prossegue). No segundo dia essa quantidade de alimento é aumentada e assim sucessivamente até o 14º dia desta quinzena em Shukla Chaturdashi. O Jejum prossegue, entra em Pournima e no dia seguinte, em Krishna Pratipat, o mesmo procedimento é feito, ou seja, uma porção de alimento à noite, mas aqui diminuindo essa porção a cada dia lunar quando então, no Amavasya (novamente total jejum) e no dia seguinte o jejum é quebrado.

Está escrito no Shiva Purana sobre esse jejum –

Oh Sábios! No 13º dia da metade escura do mês, somente uma refeição será tomada (pelo penitente). Mas no décimo quarto, completo jejum deve ser observado. O décimo quarto da metade escura é certo trazer propiciação do Senhor Shiva”.

Esse Jejum (Vrata) remove as curses dadas por Júpiter no Mapa.

_____________________________________
(*) Texto Corrigido sobre a sequência das Tithis. Segue ilustração sobre as fases lunares.